quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Um passeio pela História

Antes de sair em férias contei aqui que iria realizar o sonho da minha vida: conhecer as pirâmides do Egito. Já de volta, acabei me dando conta de algo que, sem querer, eu planejei e fiz: um passeio pela História, que tanto amo e considero uma boa base para minha formação jornalística.
Visitei símbolos históricos que, quando estudamos História na escola, vemos nos livros e imaginamos o que realmente aconteceu naqueles lugares. O Parthenon, em Atenas, no alto da Acrópole, é um monumento erguido em homenagem à riqueza que permeava aquele período da Grécia. Um pouco daquela magia está estragada pelos andaimes dispostos no local e por uma escada de madeira, mas ainda assim é possível imaginar Sócrates andando por ali com seus discípulos.
As pirâmides são de tirar o fôlego. Imensas, elas possuem uma imponência incomparável a qualquer outro monumento. A Esfinge também nos mostra toda a modernidade de um povo que, há dois mil anos, tinha conhecimentos de Engenharia que até hoje intrigam pela sua perfeição.
O Coliseu, palco de tantas mortes e espetáculos sangrentos, não tem aquela aura pesada que muita gente imagina. Muito pelo contrário: ao caminhar por aquelas ruínas e olhar do alto a arena onde tantos gladiadores perderam a vida, o que me chamou a atenção foi a grandiosidade de um lugar que representou todo o apogeu de Roma, que era na época um império invencível.
Em Israel, os lugares históricos considerados símbolos do Cristianismo são muito bem guardados. Em cada ponto importante da vida de Cristo, uma igreja foi erguida. Porém, uma coisa me decepcionou bastante neste passeio: o comércio, presente em todas as igrejas e locais sagrados. A Via Dolorosa me pareceu uma 25 de Março um pouco mais organizada e sem tanta gritaria. Se Cristo voltasse para esse lugar, novamente iria expulsar os vendilhões do templo.
A despeito da beleza dos lugares e de todo o simbolismo que eles representam, não consegui me emocionar nem mesmo no Muro das Lamentações, mas me impressionei com cristãos, judeus e muçulmanos rezando todos juntos, alguns em transe. A emoção que tanto queria sentir veio quando fui batizada no Rio Jordão, um belíssimo lugar que transmite paz e renovação a todos que entram naquelas águas.
Cada foto tirada em todos os passeios traz emoções diferentes, e em minha memória terei sempre os momentos vividos de um sonho realizado. Minha sobrinha mais velha, ao ver minhas fotos, exclamou: “Tia, parece que você está dentro dos livros de História!”. Ela tem razão: nessa viagem, entrei na História que tanto amo. Ainda assim, é bom voltar aos tempos atuais. Como diz a música imortalizada na voz de Elis: “o passado é uma roupa que não nos serve mais”.

Nenhum comentário: